O natal e a origem de sua comemoração

“Está chegando o Natal” e pessoas dos quatro cantos do globo se preparam para o que aparenta ser a festa mais importante do ano, claro que com a melhor das intenções, se perguntamos a elas o que estão comemorando, muitas dirão que, – sem terem a menor idéia do mutatis mutandis enxerto em seu real significado -, estão comemorando o nascimento de Jesus Christ. Mas será que o chamado messias realmente nasceu no dia 25 de dezembro?

Em primeiro lugar julgo ser importante primeiro saber o significado da palavra “natal”. A palavra “natal” do português já foi “nātālis” no latim, derivada do verbo nāscor (nāsceris, nāscī, nātus sum), cujo sentido nos volve em “nascer”. De “nātālis” do latim derivou também “natale” do italiano, “nöel” do francês, “nadal” do catalão, “natal” do castelhano, todavia a palavra “natal’ do castelhano foi suplantada por navidad como nome do dia religioso. No inglês, a palavra Christmas deriva de duas palavras antigas: Christes maesse; que significam “The Mass of Christ” (A Missa de Cristo). Uma missa católica onde o sacerdote re-oferece o sacrifício de Cristo, segundo os católicos, na cruz – apesar da palavra grega utilizada para se referir ao objeto em que morreu Jesus não significar cruz, uma tradução mais assertiva seria “tronco” ou “madeiro” -. Já em alemão é weihnachten que significado algo como “noite bendita”. E por fim, empregada como adjetivo significa o local onde alguém ou algo nasceu.

Quanto ao nascimento de Jesus

Ora, tendo isso em conta fica claro então que Jesus nasceu no dia 25? Não! Isso foi apenas uma explicação da origem da palavra e não da origem da comemoração. Então que dia nasceu o “eterno” menino Jesus? – O sujeito tem mais de 2000 anos e ainda o chamam de “menino Jesus”. Essa talvez seja uma das perguntas mais difíceis de responder, em primeiro lugar porque em parte alguma da bíblia foi-nos revelado o seu natalício (nascimento), muito embora não haja uma data específica, podemos então especular uma data aproximada; examinemos; No texto de Lucas 2:8 temos um relato concomitante ao momento em que Jesus nasceu: “Havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho” (Conferi este texto numa bíblia em grego, idioma original e nada foi tirado ou acrescentado). Ora, “isto jamais pôde acontecer na Judéia durante o mês de dezembro: os pastores tiravam seus rebanhos dos campos em meados de outubro e [ainda mais à noite] os abrigavam para protegê-los do inverno que se aproximava, tempo frio e de muitas chuvas (Adam Clark Commentary, vol. 5, página 370). A Bíblia mesmo prova, em Cant 2:1 e Esd 10:9,13, que o inverno era época de chuvas, o que tornava impossível a permanência dos pastores com seus rebanhos durante as frígidas noite, no campo. É também pouco provável que um recenseamento fosse convocado para a época de chuvas e frio (Lucas 2:1).” Como ordenou César Augusto. Descartada então a hipótese de que Jesus tenha nascido em 25 de dezembro. Segundo alguns eruditos, a data mais aproximada do nascimento de Jesus foi por meados de Abril, tendo em conta o clima atmosférico na hora do parto.

Quanto à troca de presentes

           Em Mateus 2:11 lemos: “E, ao entrarem na casa, viram a criancinha com Maria, sua mãe, e, prostrando-se prestaram-lhe homenagem. Abriram também seus tesouros e presentearam-no com dádivas: ouro, olíbano e mirra” Em um primeiro momento o sujeito poderia até interpretar essa passagem da seguinte maneira: “Já que os reis magos presentearam a Jesus em seu nascimento, significa isso então que está correto presentear as pessoas na época do natal, assim mesmo como em seus aniversário!” Errado! Em primeiro lugar porque os reis magos presentearam tão somente a Jesus, não trocaram presentes ente si e nem com Maria; imagine que estais de aniversário e as pessoas trocassem presentes entre si se esquecendo do próprio aniversariante! Com essa simples e crível interpretação cai por terra o mito da comemoração do nascimento de Jesus, clarificando ainda mais a hipocrisia do momento. Podemos ainda fazer uma ligação com o natal de simples terráqueos, ou o nosso aniversário. O fato de os magos terem presenteado Jesus não significa que ali houve uma comemoração de aniversário, ou até um exemplo para que sigamos. Parafraseando Adan Clarke, no oriente, não é costume entrar na presença de reis ou pessoas importantes de mãos vazias, a própria bíblia nos mostra essa conduta em várias passagens do velho testamento, além do mais é um costume ainda corrente no oriente e algumas ilhas do pacífico. Sendo Jesus alguém mui importante em sua cultura nada mais justo do que presentear-lhe com o que tinham de mais valor em mãos!

Reis amgos

Quanto à origem do dia da comemoração

 

 

A partir daqui não há muito que eu possa discorrer com minhas próprias palavras além de que é muito mais fácil e menos trabalhoso copiar textos feitos por outras cabeças! 😀

“A verdadeira origem do Natal está na antiga Babilônia. No Egito sempre se creu que o filho de Ísis (nome egípcio da “rainha do céu”) nasceu em 25 de dezembro. Os pagãos em todo o mundo conhecido já celebravam esta data séculos antes do nascimento de Cristo.”

Deusa

Deusa Ísis e seu marido Osíris

“As origens do Natal remontam aos tempos antes do nascimento de Cristo quando as culturas antigas celebravam a mudança das estações. No hemisfério norte, na Europa, por exemplo, o solstício de inverno, que é o dia mais curto do ano, ocorre por volta do dia 25 de dezembro. Estas celebrações eram baseadas no declínio do inverno. Já que durante o inverno os animais permaneciam presos, as pessoas ficavam dentro de suas casas, as colheitas não cresciam, etc, sabiam que o inverno passava da metade e por isso faziam deste um tempo de celebração.”

“No antigo sistema religioso romano, Saturno era o deus da agricultura. Cada ano, durante o verão, o deus Júpiter forçaria Saturno para fora da sua posição dominante e os dias iriam se tornando mais curtos. No templo de Saturno em Roma, os pés de Saturno eram simbolicamente amarrados com correntes até os solstício e inverno, quando os dias começavam a se alongar novamente. Era este solstício de inverno um tempo de celebração e de troca de presentes já que a dureza do inverno começava a desvanecer e os dias a se tornarem mais longos”

“25 de Dezembro, especialmente, coincidia com o dia do nascimento do deus-sol chamado Fírgia na cultura antiga dos Bálcãs.”

Quanto ao motivo do 25 de dezembro ter se tornado o natalício de Jesus

 

Novamente neste tópico preferi usar textos já criados por outros, nesta primeira aspa, decidi expor um fragmentos da The New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge (A Nova Enciclopédia de Conhecimento Religioso, de Schaff-Herzog) como uma premissa, a posteriori fragmentos angariados de diversas fontes

“As festividades pagãs de Saturnália e Brumália estavam demasiadamente arraigadas nos costumes populares para serem suprimidos pela influência cristã. Essas festas agradavam tanto que os cristãos viram com simpatia uma desculpa para continuar celebrando-as sem maiores mudanças no espírito e na forma de sua observância. Pregadores cristãos do ocidente e do oriente próximo protestaram contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Cristo, enquanto os cristãos da Mesopotâmia acusavam a seus irmãos ocidentais de idolatria e de culto ao sol por aceitar como cristã essa festividade pagã.”

“No Império Romano, no tempo de Cristo, o festival de inverno era conhecido como saturnália. A Igreja Romana não permitia a participação na saturnália, até aproximadamente o 4º século, quando ela adotou o feriado e tentou convertê-la na celebração do nascimento do Senhor. Eles a chamavam Festa da Natividade. Esta adoção foi incorporada à cultura ocidental desde então.”

Saturnália

Saturnália

“Originalmente destinada a celebrar o nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno (natalis invicti Solis), a festividade foi ressignificada pela Igreja Católica no século III para estimular a conversão dos povos pagãos sob o domínio do Império Romano e então passou a comemorar o nascimento deJesus de Nazaré.”

Acredito ser o suficiente…

 

Considerações finais

De fato nunca existiu na bíblia uma ordem ou instrução para que comemorássemos o nascimento de Jesus e muito menos aniversários. Quanto ao nascimento de Jesus, se realmente fosse importante sua comemoração, não iria o todo poderoso Deus deixar claro na bíblia o dia do nascimento de seu filho? Qual o motivo de eclipsar uma data tão importante? (Veja bem nascimento de seu filho, é errônea a idéia de que Jesus e Deus são um só, porque se o fossem, Jesus não oraria a Deus com freqüência.) Quanto ao aniversário, os únicos dois comemorados em toda a bíblia foram de reis tiranos que terminaram em desastre.

Cabe ao cristão católico, evangélico, quadrangular, retangular, oval, adventista, ou seja lá qual for sua religião ponderar em se realmente está fazendo certo em comemorar o nascimento de Jesus e ainda por cima numa data extremamente pagã seguindo um rito pagão de dar presentes!
Não tenho como objetivo doutrinar ou impelir um freio na comemoração, apenas clarificar o real significado.

Anúncios

O “desconhecido” Mandela

selo siviético de mandela

Selo soviético de Mandela

Não nos cabe dúvida de que Mandela foi um grande combatente em pró da causa negra na África do Sul, onde lutou pelo fim da apartheid que segregava a supracitada raça, entretanto o que não nos queda claro é seu modus operandi, onde amiúde soia volver-se às ações de guerrilha. Mas don’t worry, o intuito deste pequeno texto é trazer a tona a faceta oculta de nosso aclamado “herói” ganhador do Nobel da paz, elucidando algumas de suas ações terroristas!

A partir daqui disponho material angariado de vários artigos sobre Mandela de tal modo que se torna dispensável que crie algo com minhas próprias palavras, o anacronismo é proposital, não tenho vontade alguma de discorrer sobre este tema nesse momento, a única intenção é de acabar com o mito, e como hoje é aniversário de sua morte, portanto, melhor momento não há.

E que comece o espetáculo!

  • Segundo o próprio Mandela a instituição não poderia ser o começo de um militarismo; a organização deveria ser uma força militar totalmente subordinada a um órgão político central. O treinamento militar seria paralelo ao político, de forma a ficar bem definido que a revolução servia para tomar o poder, e não para habilitar atiradores. O líder passa a ostentar uma barba, ao estilo do guerrilheiro assassino Ernesto Che Guevara, a vestir uniforme camuflado e dá início à campanha armada.Vivendo na clandestinidade, evita ser encontrado;  “Nós adotamos a atitude de não violência só até o ponto em que as condições o permitiram. Quando as condições foram contrárias, abandonamos imediatamente a não violência e usamos os métodos ditados pelas condições”. – declararia, mais tarde
  • Em 1951 é proposto que sejam aceitos não-negros no CNA (Congresso Nacional Africano), e Mandela inicialmente se posiciona contrário à idéia. – Deixando claro seu lado preconceituoso, falhando em sua própria ideologia de unificar a África.
  • Tornara-se um bon vivant: freqüentava restaurantes, andava num carro americano importado
  • Passa a ter aulas de demolição com o tenente Befekadu.
  • Passou dois meses recebendo treinamento militar dos etíopes; aprende a atirar, em alvos fixos e móveis, que aperfeiçoou-lhe as lições iniciais recebidas em
  • No Marrocos, onde ficou fascinado pelas estratégias das lutas dos argelinos contra os franceses, que eventualmente poderiam ser utilizadas pelo MK. As idéias de Mandela passavam pela construção de um exército revolucionário, capaz de conquistar o apoio popular, instalar escolas de doutrinação, coordenação adequada da guerrilha, oportunidades psicológicas das ações, etc.
  • Em 1962 Mandela vai a Londres, onde adquire livros sobre guerra e guerrilha.
Mulher branca estrupada e assassinada pelos homens de Mandela!

Mulher branca estrupada e assassinada pelos homens de Mandela!

Agora algumas ações humanitárias de Mandela

  • 1981 – Dois carros-bombas no Duban Showroons (6 mortos e 34 feridos)
  • 1983 – Um carro-bomba em um congestionamento (19 mortos e 217 feridos)
  • 1984 – Um carro-bomba em Durban (5 mortos e 27 feridos)
  • 1985 a 1987 – Mandou colocar pelo menos 150 minas terrestres em estradas rurais (125 mortos)
  • 1985 – Uma bomba no Centro Comercial Amanzintoti (5 mortos, incluindo 3 crianças e 41 feridos)
  • 1986 – Uma bomba no bar do Magoo (3 mortos e 69 feridos)
  • 1986 – Uma bomba no tribunal Newcastle (24 feridos)
  • 1987 – Uma bomba no terminal Johanesburgo (3 mortos e 10 feridos)
  • 1988 – Uma bomba no fliperama Johanesburgo (1 bebê morreu e 10 feridos)
  • 1988 – Uma bomba no tribunal de magistrados (3 mortos e 9 feridos)
  • 1988 – Uma bomba no centro comercial (2 mortos e 42 feridos)
  • 1980 – Mandela mandou colocar inúmeras bombas-relógio nas redes de restaurantes Wimpy (Matou mais de 90 pessoa e in[úmeros feridos] – “PORQUE SERÁ QUE MANDELA FOI PRESO?”
Mandela com armas!

Mandela com armas!

“Como alguém que bate uma foto com uma arma desse calibre e assassina tantas pessoas pôde ganhar o Nobel da Paz?

  • Foi fundador e primeiro líder do grupo terrorista comunista UWS, que usava táticas de guerrilha com a intenção de dar um golpe na África do Sul.
  • Foi membro do partido comunista da África do Sul, do qual era financiado com recursos de trabalho escravo nas minhas de diamantes.
  • Quando assumiu a liderança do país sem precisar de um golpe, o desemprego entre os negros era de 20%, hoje é de 40%

E para concluir, também tirada de outros artigos – haja preguiça!

Nos países onde o socialismo marxista triunfou, tais como Angola, Congo, Etiópia, Moçambique, Zimbábue e Zâmbia, o resultado foi morticínio, miséria extrema e tragédias humanitárias.

Para usar um termo do cientista político R.J. Rummel, as guerras de libertação nacional promovidas pela URSS nos países subdesenvolvidos foram um “democídio” em massa. Este tenebroso quadro tem sido concretizado na África do Sul desde que Mandela assumiu o poder e vem piorando sob o governo de seus sucessores do CNA.

O povo da África do Sul, liderado pelo PCAS, destruirá a sociedade capitalista e construirá no seu lugar o socialismo.” — Nelson Mandela

Conforme Mandela mesmo disse:

O movimento comunista ainda enfrenta inimigos poderosos que devem ser completamente esmagados e varridos da face da Terra antes que o mundo comunista possa se concretizar.

Dez líderes do CNA foram julgados por 221 atos de sabotagem. Embora a ONU diga que Mandela era um prisioneiro político, a Anistia Internacional afirmou claramente que ele foi condenado por seus atos de violência, tais como terrorismo, e até por contrabando de minas terrestres.

Durante as investigações, foi apreendido um documento que continha um plano detalhado de guerra revolucionária que teria sido traçado, provavelmente, com consultoria soviética ou maoísta.

Consistia em dividir o país em 4 regiões que seriam invadidas por pequenos grupos guerrilheiros de 10 homens cada, cuja missão era causar levantes nas comunidades e tribos através de dissimulação e intimidação, conseguindo adeptos.

Enquanto estes comandos “trabalhariam” os vilarejos, uma força convencional de 7000 homens invadiria o país com o apoio dos sindicatos. Em outro documento que veio à tona em Rivonia, Mandela declarou que “traidores e informantes devem ser brutalmente eliminados.”

Ao ser condenado, Mandela proferiu o discurso “Estou Preparado para Morrer“, no qual negava a influência socialista sobre suas ações e dizia lutar pelos direitos dos negros.

Sob regime comunista a África do Sul será uma terra de leite e mel” — Nelson Mandela

O Proletário Socialista

Socialismo


Ao volver páginas de um livro me deparei com a seguinte frase do ilustre Fidel Castro: “Educar o homem, entre outras coisas para a produção, para servir aos demais, para cumprir suas mais elementares obrigações sociais.” Qualquer um com o menor poder de síntese que tenha – mesmo tão ínfimo quanto à deste que vos escreve -, e que não sofra da síndrome do comunismo, poderia chegar à seguinte conclusão, devidamente lógica; de que o trabalhador definitivamente “liberto de seu patrão capitalista”, aprenderia do Estado um ofício ou profissão para que este trabalhe ou produza nas devidas oito horas diárias, onde uma sobeja parte do lucro iria para o estado, de tal modo que o homem não passaria de uma mera ferramenta ou mão de obra semi-escrava nas mãos do líder vermelho. Servi-lo-á até o fim de sua vida, de maneira que não mais valerá suas habilidades manuais ou intelectuais que de fato, esta última possivelmente se perderá!

Hoje os cidadãos da ilha de Fidel Castro contam com um salário mínimo de aproximadamente 20 dólares por mês, médicos cirurgiões com o futuro aumento poderão chegar a ganhar até 60 dólares mensais. A questão é, o que se pode fazer com esse salário em Cuba? Há pouco tempo o Estado liberou a compra de automóveis novos e usados na ilha sem a necessidade de pedir uma permissão, acontece que o veículo mais barato saía por quarenta e seis mil dólares, se minha capacidade de conta não foi afetada pela discrepância da realidade cubana um sujeito que ganha vinte dólares por mês precisaria de dois mil e trezentos meses para pagar o carro, isso sem contar com juros, se é que fazem a prazo!

casto

Nesse mesmo livro ainda pude encontrar outra frase infeliz de nosso amigo ditador: “Só é possível libertar-se de tanta miséria com a morte, e isto o Estado ajuda: A morrer!”

De fato, com a penúria que vivem os habitantes daquela ilha socialista…Pelo menos essa promessa o Estado consegue cumprir sem problema algum!

Agora, trabalhar praticamente cinco meses para pagar os aproximados 40% de imposto para nosso governo, não há uma similitude?

Abaixo algumas fotos do cotidiano cubano

pobreza-cuba-3cubapobreza-cuba-6

O modelo bolivariano

Líder-supremo-de-la-Revolución-Bolivariana-425x283Depois da reeleição da presente Dilma, muitos estão dizendo que esta levará o país a um modelo bolivariano, mas o que isso significa? Se levarmos em consideração o idealismo dessa revolução – como o criador desse modelo, Hugo Chavez costuma dizer -, poderíamos chegar à conclusão de que este seria o modelo perfeito de um governo, afinal, livraria o país da invasão imperialista Norte Americana, enfatizando a indústria local e reverteria os ingressos do governo em prol do necessitado, mais ou menos como nosso governo vem fazendo com o bolsa família, minha casa minha vida e outros programas sociais que só arrombam os cofres públicos. Agora, se analisarmos a situação do único país que de fato leva a cabo esse sistema, a Venezuela, poderíamos ter uma constatação empírica do que o que realmente este sistema representa para um país.

Hoje, a Venezuela acumula a maior inflação dentre todos os países latino americanos, ainda se não bastasse os preços inflados, a moeda corrente do país sofre uma constante desvalorização chegando a ser cotada no mercado negro a bagatela de 100 bolivar fuerte por cada dólar, com isso o país possui o segundo menor salário mínimo em dólares de toda a América Latina, ficando a frente apenas de Cuba, país socialista onde o salário é o equivalente a 25 dólares. Difícil com esse salário é comprar um liquidificador que chega a custar algo em torno de 600 dólares, mais ou menos 1500 reais. Concomitantemente, o parco comércio exterior devido às restrições e às poucas indústrias do país, faz com que insumos básicos do cotidiano não cheguem às prateleiras dos supermercados, como papel higiênico por exemplo. E quando chega, as filas para comprar são enormes.

Não obstante a essa dura realidade financeira o país ainda sofre com uma altíssima taxa de homicídios, são 79 a cada grupo de 100.000 habitantes, enquanto que no Brasil essa taxa se encontra em 29 cada 100.000 habitantes, São Paulo e Rio de Janeiro saem como paraíso ante esses números. O número de homicídios é tanto que aproximadamente 90% dos casos não são resolvidos. A causa de tamanha criminalidade pode estar ligada além das poucas ofertas de trabalho, dos baixos salários devido à sobeja inflação, até pela ineficácia do governo em combater a criminalidade e o tráfico de drogas, a taxa de homicídios mais que triplicou depois que Hugo Chavez assumiu o poder no início do século e implantou sua revolução, este só deixou o poder depois de morto, quem governa a Venezuela agora é Nicolás Maduro e seu séquito do mesmo partido, algo muito comum esta passando por aqui.

Claro está não queremos uma revolução em nosso país, pelo menos não esta, cujo final já está traçado!

Supremo líder do modelo bolivariano.

Supremo líder do modelo bolivariano.